domingo, 15 de janeiro de 2017

Desapegar nem sempre é fácil...Ou será que é esse o caso?

UNO 1.5 CS - 1995












O carro é do meu pai. Roda conosco desde 2000.



Temos o manual do proprietário.




No hodômetro, 328.000 km.
Sempre esteve segurado (Porto Seguro desde 2015, mas em caso de venda seria aproveitado em outro veículo).
Nunca se envolveu em sinistro que afetasse parte estrutural.
Reparos de funilaria e pintura efetuados.
Licenciamento e DPVAT 2017 pagos (R$164,00); IPVA, isento.



Motor: rodou 50.000 km depois da primeira retífica, efetuada há aproximadamente dois anos.

Suspensão: trocados amortecedores e peças correlatas, na mesma época da retífica do motor (julho de 2014) - alinhamento e balanceamento em ordem.

Pneus: Pirelli P1, com aproximadamente 15.000 km rodados

Acessórios: alarme com acionamento das portas à distância, trava tipo carneiro (Protecar) e rádio Sony com reprodutor de CDs e entrada para USB Sony, além de 4 falantes de boa qualidade.

Uso do veículo:
roda predominantemente com meia carga; no máximo uma ou duas pessoas e raramente anda em trânsito pesado, normalmente em pistas expressas.

Reparos mais recentes:
troca do motor de arranque e do motor da ventoinha. No radiador, água desmineralizada com Paraflu (fluído recomendado pela montadora), além de troca das correias e rolamento (logo após 40.000km da retífica).







Alguns problemas identificados (pontos de atenção): lâmpada da injeção acende bastante, mas isso desde antes da retífica do motor (mecânico e eletricista  de autos consultados não diagnosticaram defeito – no scanner, tudo OK).

Próximas revisões: ajuste de válvulas (nunca feito, depois da retífica) e rolamento de roda (não me recordo de ter trocado, mas ainda é possível rodar um tempo, segundo o mecânico).

Nenhum comentário: