domingo, 6 de novembro de 2016

Que tal abandonar a grande manada e frequentar grupos menores e melhores? (I)


     
                     


Tenho utilizado somente esse aplicativo, nada similar no smartphone, apesar de a esmagadora maioria das pessoas com quem me relaciono usar aquela outra solução que é tanto mais famosa como mais limitada. Fico sem contato por essa via com muitas pessoas, algumas com quem realmente valeria a pena manter contato.

Inúmeros artigos estão disponíveis com comparações entre aquele que é o mais utilizado e esse que é o melhor.

Apesar de tanta informação e conhecimento disponível, o grosso das pessoas simplesmente ignora as vantagens do Telegram e não faz questão nenhuma de estimular ou mesmo de discutir com seus amigos esse assunto.

A lógica seria: se o outro é mais popular, por que não aderir também em vez de perturbar?

Comodismo então não seria a única causa para a resistência.

Pra que argumentar ou insistir em um assunto de "menor importância"?


Ser taxado como "do contra"?  Quem quer isso?

O caso é que a solução russa realmente oferece mais privacidade e, pelo menos até o momento, não demonstra que seu mais puro interesse seja monitorar os hábitos de consumo em prol de grandes corporações - ou, seja não está potencialmente relacionado com mecanismo de manipulação de massas.

Feito esse brevíssimo arrazoado, cabe apenas agora brindar o fato de eu ter atualizado o Telegram para a versão 3.13.1.

(Atualização feita, obviamente, pelo repositório do F-Droid, já que não tenho usado nem configurado conta Google no meu smartphone. Sim, isso é possível.)

Após atualizá-lo passei tomei contato com possibilidades interessantes, que até já existiam nas anteriores:

- armazenamento de arquivos em nuvem, pelo próprio aplicativo.

- configuração de dupla verificação, toda vez em que houver acesso a partir de um novo aparelho.

Com a dupla verificação, além da típica mensagem de SMS, gerada pelo Telegram, será necessário inserir uma senha que eu mesmo escolhi. A possibilidade de recuperação dessa senha pode ser feita a partir de um e-mail. A propósito, uso o Protonmail que oferece avanços, como o Telegram nas questões de privacidade, segurança com criptografia de ponta a ponta etc).

O objetivo agora é, quem sabe com o tempo, explorar facetas como bots e jogos interativos. Aliás, foi nesse tipo de jogo que a versão mais avançou.

Os motivos acima dificilmente serão suficientes para que mesmo meus poucos amigos passem a usar e a recomendar mais a utilização preferencial do Telegram. Ainda assim fica uma sugestão de leitura para quem tiver tempo e interesse de se desvencilhar um pouco da manada: https://telegram.org/faq/br  

                                 

Nenhum comentário: