domingo, 25 de outubro de 2015

Pobre sociedade estadunidense

Como sabemos, o american way of life não pode ser considerado modelo.

Tivesse todo o planeta o nível de consumo dos Estados Unidos, seria preciso quatro planetas Terra para suportar.

Mas é triste constatar que alguns não parecem aceitar como necessidade vital viver de forma mais sustentável (não consumir, consumir menos, reaproveitar e reciclar).

Acabo de encontrar, no velho e bom monitor do Duck Duck Go a seguinte notícia:


Goodbye Middle Class: 51 Percent Of All American Workers Make Less Than 30,000 Dollars A Year

 Sim, a maioria dos estadunidenses ganha menos de 30 mil dolares por ano, o que equivale a menos de 2.500 / mês. 

   Ainda assim, quase R$10.000,00 por mês , mais de 5 vezes o salário médio de um brasileiro.

   Na mesma notícia consta que uma pessoa que tem apenas 10 dolares no bolso é mais rica do que um quarto dos estadunidenses. Isso porque eles são muito endividados. E, embora sem os juros extorsivos praticados no Brasil, alto endividamento sempre requer atenção, sinal de que algo está fora dos eixos.

  A respeito do dinheiro necessário para viver, gostei de uma palestra indicada pelo Bill Gates.

   Isso mesmo. Nem tudo que ele faz é ruim. Às vezes ajuda pessoas, ainda que se possa questionar os meios dessa ajuda. E às vezes recomenda boas palestras.

   Se puder, procure e assista ao vídeo "How we can make the world a better place by 2030" (palestra de Michael Green - no TED).



    Basicamente, o sujeito criou um "índice de desenvolvimento", segundo o qual Noruega teria a maior nota (88). O lugar médio, dentre todos do múndo, sería Cuba (65). Sim, Cuba! E os países menos favorecidos, os da África Central.

    Considera que, mesmo com crescimento econômico bem maior do que o atual, por décadas, não teríamos avanço significativo em progresso social.

    Fica subentendida a necessidade de reorganização social, para que tenhamos um mundo melhor para todos.

     Não adianta "aumentar o PIB"!

     E ele é otimista. Pondera que, em relação à pobreza absoluta, a humanidade já conseguiu, nos últimos anos superar parâmteros estabelecidos. Sófalta todo o resto e mudar a direção.

     Até Delfim Neto já entendeu isso: O capitalismo não é uma coisa 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Nenhum comentário: