segunda-feira, 15 de novembro de 2010

AMIGOS, PÓS MUNDO VIRTUAL...

Há mais de dois meses, foi publicado no caderno "Link", do Estado, um texto interessante sobre a qualidade dos relacionamentos (de fachada) do chamado "mundo virtual".

Basta clicar e ler a íntegra:

OS AMIGOS, OS AMIGOS DOS AMIGOS E OS CONHECIDOS

Quantas redes sociais temos?

- família;
- trabalho;
- estudo;
- gente cada um dos antigos grupos dos quais fizemos parte;

Com quem temos “laços fortes”?
Com quantas pessoas temos “relações tênues”?

Claro, muita gente de nossa afinidade não é “digitalmente incluída”. Só estes ainda tem a desculpa de não nos enviarem mensagem de correio eletrônico, nem falar conosco em um mensageiro eletrônico. “Talvez só telefonem...”.

Claro que uma relação tênue de hoje pode passar a ser mais forte amanhã, e o que é uma relação muito forte hoje também pode ficar menos.

Mas estas novas formas de comunicação, com possibilidades tão amplificadas, e a leitura deste artigo deixa outro ponto vir à tona. Se não há “tantos amigos assim”, muito menos de laços fortes, a ninguém mais enganamos, além de nós mesmos quando abandonamos aqueles a quem um dia chamamos de amigos.

Um dos pressupostos da amizade é a atenção recíproca e até prioritária e com relativa frequência.

Um comentário:

Srta. Lorena disse...

Olá! Ouça "A lista", de Oswaldo Montenegro...

Beijos,