terça-feira, 5 de maio de 2009

UMA CORREÇÃO (sobre telefonia móvel)

Ao ler a notícia "VIVO É CONSIDERADA A MELHOR OPERADORA MÓVEL", no Portal do Call Center, fiquei assutado.
Pensei: Errei aqui neste espaço (pelo que publiquei em 21 de março, sobre o MAPA DA LESÃO / MAPA DA PICARETAGEM) e/ou a notícia está errada (?).

Meu lado vaidoso faz com que eu aponte primeiramente um deslize no título da notícia. Uma empresa deste setor nunca é "a melhor". É, na melhor das hipóteses, "menos ruim" do que as outras.

Ficaríamos, pois com o seguinte título: "VIVO É CONSIDERADA A OPERADORA MÓVEL MENOS RUIM".

Porém, com base no último CADASTRO DE RECLAMAÇÕES FUNDAMENTADAS, divulgado pelo PROCON/SP, sugeri que a menos ruim fosse a CLARO. Afinal, esta teve 344 reclamações contra 511 da VIVO, em 2008.

Só que devo começar a admitir meu erro.
Primeiro, a VIVO deixou de atender 124 reclamações naquele ano, e a CLARO deixou na mão 105 cabras.

Os números absolutos nem sempre dizem o que é necessário para conclusões mais apuradas.

Assim, se considerarmos que a fatia de mercado da VIVO é muito maior do que a da CLARO, tanto no Brasil como no estado de São Paulo e também no "DDD 11", fica realmente claro que o desempenho da VIVO foi o menos ruim.

O "market share" pode ser checado no "site" www.teleco.com.br; mais especialmente, em http://www.teleco.com.br/mshare.asp, onde também podemos verificar que a empresa que tem menor número de clientes é a TIM
.
Mas, por que será, então, que a TIM é a que tem o maior número absoluto de reclamações, no PROCON?

Contra esta empresa foram 892 RECLAMAÇÕES, sendo 426 "NÃO ATENDIDAS", com índice de solução favorável ao consumidor de apenas 52%. É ruim demais!


Por outro aspecto, o percentual dos que tiveram reclamações ATENDIDAS no PROCON, ao reclamar com a VIVO, é de 76%, superior ao dos que reclamaram contra a CLARO, 69%.


Ficam então a correção e os conselhos: Fujir, antes de tudo, da TIM, pois é a que MAIS LESA. Depois, Claro - fugir da segunda mais lesiva, em números relativos.

Isto prá não morrer de raiva!

Nenhum comentário: