domingo, 15 de março de 2009

PESCADOR DE ILUSÕES

Se meus joelhos não doessem mais
Diante de um bom motivo
Que me traga fé, que me traga fé

Se por alguns segundos eu observar
E só observar
A isca e o anzol, a isca e o anzol
A isca e o anzol, a isca e o anzol
Ainda assim estarei pronto pra comemorar
Se eu me tornar menos faminto
Que curioso, que curioso
O mar escuro trará o medo lado a lado
Com os corais mais coloridos

Valeu a pena, e e
Valeu a pena, e e
Sou pescador de ilusões
Sou pescador de ilusões

Se eu ousar catar
Na superfície de qualquer manhã
As palavras de um livro sem final
Sem final, sem final, sem final, final

Se eu ousar catar
Na superfície de qualquer manhã
As palavras de um livro
Sem final, sem final

Sem final, sem final, final

PRIMEIRA LEITURA

Tão raro seria este "motivo" que quase seria mais justo dizer "um dos pouquíssimos bons motivos"?

Capaz de fazer o cabra superar a grande dor e se colocar de joelho.

Depois de uma certa idade, por conta de tudo o que a vida faz com a gente, muita coisa doi. É que não nos cuidamos quando novos - é da lógica da vida; só aprendemos mais tarde...

Pode doer a partir do corpo...
Mas o maior problema é o efeito no espírito - que fica desde não tão leve até esgotado - falta alma / ânimo!


Seria preciso que OS JOELHOS NÃO DOESSEM MAIS diante de algo capaz de TRAZER FÉ... (Reparem que o cabra está sem fé!)

Seria preciso ousar "catar" as palavras de um livro SEM FINAL.
(Concordo.. É PRECISO!)

De novo, o mar...
Curioso...
Inspira medo lado a lado com a beleza dos corais mais coloridos!
CURIOSO!

E o importante é que, mesmo sem final, "depois" seja possível dizer: "VALEU A PENA"!

SEGUNDA LEITURA


Há uma sugestão de mudança de atitude:

- menos faminto;
- observador;
- na superfície de qualquer manhã...

Ou seja, não estamos a tratar de algo raro... É sem grandes pretensões, não tão profundo, hoje mesmo... Uma coisa rápida (...por alguns segundos...), capaz de deixar o cabra "pronto prá comemorar!"

Esta ocorrência da superfície de qualquer manhã pode até valer a pena!

Fica a dúvida: para catar palavras num livro "sem final", bastaria apenas ousadia ou até isto seria melhor fazer com "arte"?



Nenhum comentário: