sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

Sobre um gostar estranho e o "desgostar" dificílimo!

No Carnaval, em "Long Beach", terei também a companhia de "CRIME E CASTIGO".

Enfim, o clássico russo que aborda a redenção pelo amor.

O mais nobre dos sentimentos - se não o único - que há para dar sentido à vida das pessoas. Não raro, um aluno desinteressado, ao apaixonar-se, melhora em muitos aspectos. Quem ama percebe a importância de SER melhor para estar a altura de quem se gosta...

Mas tem a outra face da moeda. O "amar demais"!

Para algumas pessoas, qualquer comportamento que aparentemente coloque em "risco" um ente querido, seja para ele ruim (aos olhos de quem ama demais) causa sofrimento (medo, insegurança, etc)

Como se não bastasse, infelizes, perdemos o tato; tornamo-nos invasivos SEM CAUSA...

Tanto maior o preço quanto menos tato a pessoa tiver. Pago sempre bastante, já que sutileza é algo que tenho muito a desenvolver.

Penso, por exemplo, no pai e na mãe que fazem elucubrações sobre as andanças do(a) filho(a), sobre o tipo de companhia que ele(a) escolhe.

Às vezes não há nada de mal, só o pai é que pode estar triplamente errado:

- primeiro, por imaginar algo que não existe;
- principalmente, porque age como um louco ou babaca...
- e, especialmente, porque, se queria aproximação, só consegue mais afastamento, pois por melhor que seja a intenção, se não for com jeito, com o "rapport", da psicologia, não se logra êxito;

Pessoas assim tem um único consolo ou esperança: sabemos que ninguém começa a gostar de outra pessoa do dia para a noite e nem deixa de gostar instantaneamente.

A aparente locura, o excesso de babaquices e a irritação que causa nos entes queridos, mais o cerceamento de evenutal liberdade constituem o aparato quase perfeito para que alguém "desgoste" da gente, que "ama demais".

Com tantos a sofrer "por amor", querendo aprender a "desgostar", esta fórmula seria uma maravilha.

Enquanto Caetano canta: "...você não me ensinou a te esquecer..."

Teríamos então um método para "desgostar"?!!!

Não!
Não funciona - não se aplica às pessoas mais apaixonáveis / apaixonantes! Tendemos a gostar de gente livre, que vive e deixa viver!

Gente de quem, pelo menos por motivo desta ordem, jamais conseguiremos "desgostar".



(o papel e o blog aceitam tudo - o problema é a prática!)

Bom Carnaval aos amigos e amigas!

Nenhum comentário: