quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

AÇAO DE CIDADANIA

SOU CONTRA práticas ilegais da UNIMED PAULISTANA
(em causa mais do que própria)

Há algum tempo estou para comentar neste espaço sobre o serviço prestado pelo saite RECLAME AQUI. Ao me deparar com problema de relação de consumo e depois de perceber que o fornecedor passou do limite, resolvi experimentar o referido canal alternativo de solução de demandas.

Deixei então ALI (mais ou menos) a seguinte reclamação contra renomado e caro plano de saúde:

Cumprir uma obrigação custaria para empresa menos de R$15,00. Será que avaliam os ônus e transtornos causados por descumpri-la?

Minha mãe, de 75 anos, e meu pai, de 82, são clientes desta empresa há alguns anos (carteirinha 0 333 000061214601 7) .
Entregam-lhe mensalmente uma pequena fortuna; bem mais do que o salário recebido menslmente por 95% brasileiros (para quem não sabe, o povo ganha menos de R$800,00!).

Costumeiramente, fazem exames no Laboratório Lavoisier, que fica a mais ou menos três quilômetros de nossa casa.

No final de janeiro deste ano, um médico da rede credenciada prescreveu, em uma mesma guia, 12 (doze) exames - destes de rotina (níveis de sódio e potássio, VHS, TSH, etc). O último da relação é uma pesquisa de sangue oculto nas fezes.

Ela dirigiu-se, então, normalmente ao citado laboratório, onde recebeu a informação de que onze exames da relação poderiam ser feitos "pelo convênio", mas para a realização do último, naquele laboratório, teria de pagar R$15,00. O atendente acrescentou ainda que, caso não quisesse pagar pelo último, teria de deixar a guia com o laboratório, para que fossem realizados os outros onze, e solicitar nova guia ao médico, para a realização, em outro local, do exame que fora negado (o que, por certo, geraria custo igual ou superior aos R$15,00 - fora o tempo perdido).

Sem saber o que fazer, mas ciente de que há algo muito errado, ela retornou à casa com a guia e sem os exames, como está até hoje, desde o dia 2 de fevereiro, data em que fizemos a primeira reclamação com a Unimed e com o Lavoisier.

Liguei, naquela mesma segunda-feira, para o SAC da empresa (0800 940 2345). expliquei todo o problema, salientei ter conhecimento do DECRETO 6523 e que exijo a correta solução. Foi gerado o PROTOCOLO 12279398. Ponderei que solicitaria o acesso à gravação da ligação, se necessário, e pedi resposta por escrito - TUDO DENTRO DA LEI. Salientei que reclamava nem tanto pelo valor, mas para evitar que doravante a empresa passe a recusar ou alterar procedimentos de forma unilateral, em desacordo com o contrato, a boa-fé, etc.

Expirado o prazo legal para a solução da demanda, conforme o DECRETO, que é de 5 dias úteis, na noite do dia 9, liguei para cobrar solução. Quem atendeu - desta vez um rapaz - disse que ainda não tinha nada para me dizer. Perguntei qual seria o novo prazo. Disse tomaria medida para AGILIZAR O PROCESSO e pediu que eu ligasse na quarta-feira. Ponderei que o prazo encontra-se expirado e que caberia à empresa dar o retorno. Forneceu o segundo PROTOCOLO (12359068).

Na quarta à noite, dada a inércia da empresa, liguei pela terceira vez para o SAC - falei com Leia Dutra. Esta disse que o caso está com "outro setor", que o colega havia escrito no processo que os R$15,00 haviam sido pagos e que faria a retificação das informações. Pedi prazo para a solução. Informou que passaria o caso para "sua liderança", para que houvesse o atendimento "o mais rápido possível". E tome protocolo! (12391204). Ponderei que a empresa deve, nos termos do ESTATUTO DO IDOSO, priorizar os casos que envolvem senhoras de 75 anos.

No entanto, estamos no final da tarde da quinta-feira e nada foi resolvido.

A explicação dada pelo laboratório, quando questionado também por seu SAC (protocolo 0342909CCAFFF9), é que no contrato entre Unimed e Lavoisier não há cobertura para este exame.

Ocorre que optamos pela Unimed justamente para ter relativa LIBERDADE de escolha, ao menos entre os renomados laboratórios listados.

Nota-se que a empresa celebra um contrato com seus clientes, dizendo que análises clínicas podem ser feitas no tal laboratório, mas faz contrato discrepante com o Lavoisier. Na prática, o procedimento causa descumprimento do contrato com o cliente.

Mais do que isso, desrespeito ao Código de Defesa do Consumidor, ao DECRETO que o regulamenta (Lei do SAC), ao ESTATUTO DO IDOSO e, especialmente, DESRESPEITO ÀS PESSOAS.

Não gostaria de imaginar que a não inclusão de alguns exames no contrato com o Lavoisier funcionaria como estratégia para fazer com que os clientes, “por questão de praticidade”, procurem a rede própria ou laboratórios menos renomados – o que configuraria o malsinado dirigismo contratual!

RECLAMO AQUI, depois de tanto RECLAMAR LÁ, em vão, e tendo em mente o que disse um advogado e político americano e um poeta russo:

"O preço da liberdade é a eterna vigilância".

Thomas Jefferson


NO CAMINHO

Na primeira noite

eles se aproximam

e colhem uma flor

de nosso jardim.

E não dizemos nada.

Na segunda noite,

Já não se escondem:

Pisam as flores,

Matam nosso cão,

E não dizemos nada.

Até que um dia

O mais frágil deles

Entra sozinho em nossa casa,

Rouba-nos a luz e,

Conhecendo nosso medo,

Arranca-nos a voz da garganta.

E porque não dissemos nada,

Já não podemos dizer nada.”

MAIAKOVSKI
(Tradução de Eduardo Alves da Costa)

Por fim, questiono: será que "voluntariamente" a empresa cumprirá sua obrigação, "autorizando", enfim, a realização de TODOS OS EXAMES DE ANÁLISES CLÍNICAS no Lavoisier? Ou teremos ainda que reclamar via "Jornal da Tarde", "Agora"...? E depois levar o caso ao Procon e à ANS? Será que uma questão desta terá de ser avaliada até por um Juiz de Direito, em um Juizado Especial Cível?

P.S.:

1) LOGO DEPOIS DE TER RECEBIDO O PRIMEIRO PROTOCOLO DO SAC, reclamei também pelo saite da UNIMED, usando os parcos 1000 caracteres disponíveis. Resposta daquele canal também não houve!

2) Ato contínuo ao registro no "RECLAME AQUI", fiz também denúncia "ON LINE", no saite do PROCON (http://www.procon.sp.gov.br/sac/), por conta do descumprimento do DECRETO 6523;

E é bom lembrar o óbvio a que nem sempre se dá a devida importância:

A lesão ao consumidor fica menos agravada quanto mais rapidamente for apresentada solução pelo fornecedor - recíproca verdadeira!

Nenhum comentário: