segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

O ESTADO PRECISA TER UM BANCO?

Esta foi a pergunta de hoje, feita na CBN aos "especialistas" entrevistados. Incrível como o pessoal desta empresa de comunicação insiste na tese do “Estado mínimo”.

Agora perguntam se o Estado precisa ter banco!

Claro que sim. Sou empregado público. Adorei a venda da Nossa Caixa para o BB. Simplesmente porque o banco estadual estava muito controlado pelas idéias “de mercado”.

Terei conta no BB, que será administrada por FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS, contratados POR CONCURSO, de diversas etnias, idades e tipos físicos. Só pela QUALIDADE dos empregos gerados – sem discriminação – já estaria justificada a manutenção do banco do estado.

Se há duvida sobre o que coloco, pode qualquer jornalista fazer uma enquete (quem sabe uma reportagem), a partir de visitas a algumas agências dos bancos controlados pela PRIVADA e verificará quem trabalha ali: se não são os mais novos, mais “bonitos”, segundo o padrão vigente. Verificará que a distribuição étnica de cada região (brancos, pardos, pretos e índios) é bem diferente do que se encontra no corpo funcional do banco, assim como não há correspondência entre as várias faixas etárias do povo com capacidade de trabalho e necessidade de emprego e aqueles que trabalham efetivamente nos bancos.

Na PRIVADA, quando a pessoa se aproxima dos 40, em regra, é considerada sucata e é demitida. Isto, claro, para quem conseguiu trabalhar ali, enquanto jovem!

A conta no BB dá a qualquer um a possibilidade de investir em TÍTULOS PÚBLICOS, coisa que outros bancos nem oferecem – pois este concorre com seus outros “produtos” mais lesivos ao cidadão (fundos com taxa de administração alta, previdência privada, títulos de capitalização, consórcio, seguros imprestáveis, etc). No BB, infelizmente ainda vendem tais produtos da PRIVADA, mas há também possibilidade de investir em fundos de ações com carteiras totalmente transparentes – ao contrário do que ocorre em outros bancos.

E, se tivermos verdadeiros partidos de esquerda no governo, ou mesmo o PT, podemos contar com REDUÇÃO DE TARIFAS e JUROS – nada de mercado, nada de pura roubalheira!

Por "e mail", disse ao "âncora" da rádio o que coloco aqui, na (vã?) esperança de que ele possa rever seus conceitos.

O tal Paulo Brasil, “especialista”, convidado pela rádio, apesar alinhado com o ideário da CBN, deixou claro que, nas regiões onde não interessa à PRIVADA ter agências, será necessário o cuidado do Estado. Em todo "setor" é assim. O pessoal da PRIVADA adora comer o filé e deixar o osso para o Estado! Veja o caso da NET. Presta bem o serviço de acesso à internet por banda larga – mas só onde interessa. Onde moro (Cangaíba) NÃO CHEGA!!!

Recomendo a todos que assistam ao filme "SICKO - $0$ Saúde", de Michael Moore, para que possam entender um pouco mais sobre como as coisas podem funcionar quando o ESTADO atua, controla e GOVERNA e como elas "funcionam" na PRIVADA!

P.S.: Como lembrou Plínio de Arruda Sampaio, imprescindível seria ter ambos (BB e NOSSA CAIXA), até por estarmos em uma REPÚBLICA FEDERALISTA. Mas isto se o NOSSO BANCO atuasse realmente como um ESTATAL; se for para ser apenas mais um com comportamento da PRIVADA, que seja incoroporado pelo OFICIAL FEDERAL, até que tenhamos um melhor governo estadual, com interesse em ter um verdadeiro BANCO DO ESTADO DE SÃO PAULO!

Um comentário:

atf disse...

Para saber como funciona quando o estado atua é só visitar Cuba ou Coréia do Norte (se conseguir!)