domingo, 4 de maio de 2008

Ah...

se assim abnegados fôssemos!

Cantiga para não morrer

(Ferreira Gullar)

Quando você for se embora,
moça branca como a neve,
me leve.

Se acaso você não possa
me carregar pela mão,
menina branca de neve,
me leve no coração.

Se no coração não possa
por acaso me levar,
moça de sonho e de neve,
me leve no seu lembrar.

E se aí também não possa
por tanta coisa que leve
já viva em seu pensamento,
menina branca de neve,
me leve no esquecimento.



(grifo nosso...:-)..



Um comentário:

Ana Paula disse...

Que lindo este poema...mereceu uma impressão e "colagem na agenda", à moda antiga...