quarta-feira, 6 de fevereiro de 2008

Grande poeta, brande homem

Freqüentador de bordéis, sim...
ERA pessoa de alma diferente – conseguia ver ali, onde poucos seriam capazes, “moças bonitas”, de fato...


Claro, o gênio também falava de amor:

Do que me dissestes... (Manuel Bandeira)

Do que me dissestes, alma fria,
Já nada vos acode mais?...
Éramos sós... Fora chovia...

Quanta ternura em mim havia

(Em vós também... Porque o negais?)

Hoje contudo nem me olhais...
Pobre de mim! Porque seria?
Acaso arrependida estais
Do que dissestes?

É bem possível que o estejais...
O amor é coisa fugidia...
Eu, no entretanto, que em tal dia
Gozei momentos sem iguais,
Eu não me esquecerei jamais
Do que me dissestes.

Opinião deste tosco blogueiro:

Inesquecível só se for de verdade - palavras, só palavras, são esquecidas mais do que a coisa não dita que se pode tão bem sentir!



Nenhum comentário: