quarta-feira, 8 de junho de 2016

Retorno ao Twitter

Depois de um mês em "recesso", retorno à rede.

Melhor do que se fiar apenas na grande mídia.

domingo, 5 de junho de 2016

Fim da conta no Twitter

Na útima sexta-feira encerrei minha conta no micro-blog.
Ali não há mais o @alevianbr.

Eu até que gostava da ferramenta, mas ficava enjoado toda vez que pediam para eu confirmar número de meu telefone "para segurança de minha conta".

O que me deixou fulo foi o bloqueio de minha conta, por suspeita de eu estar espalhando spams e, além disso, por exigirem que eu inserisse o número do telefone, para fazer o desbloqueio.

Na verdade, eu estava apenas tentando divulgar, para figuras públicas, alguns políticos e jornalistas, informações que imaginava ser de interesse comum, para divulgação - no caso, a possibilidade de greve do Procon SP, marcada para a próxima quarta-feira.

Enviei a umas dez pessoas o link da Associação dos Funcionários da Fundação Procon (AFProcon) sobre o assunto: http://afprocon.org.br/2016/06/03/greve-do-proconsp/

Enviei às mesmas pessoas  a imagem da "publicidade oficial" referente à greve:



Como a conta foi bloqueada e não havia outra alternativa para resolver o problema que não fosse fazer o que vinha evitando, informei o número do telefone.

Porém, uma vez "liberado o acesso", desativei a conta. Simples assim.

Estaria eu realmente agindo como um spammer? Talvez.
É preciso ter regras. Certamente.
A rede vai me fazer falta? Talvez.

Ainda assim, não curti o desenrolar da situação e, por isso, não compartilho mais nada ali.
Toquemos a vida virtual de outro jeitinho.

sexta-feira, 22 de abril de 2016

Contra o ABUSO da Anatel, da Vivo e similares...

Várias ações tem sido tomadas para conter a ganância de um setor que, de olho no lucro, deixa de assumir seu papel perante o consumidor e a própria comunidade.

Tanto a Agência como as operadoras tem feito pouco em terras brasileiras, também no tocante à internet fixa. O serviço é caro, a qualidade é ruim e estamos muito longe da universalização, haja vista que apenas metade da população acessa internet.

Como se não bastasse, as empresas e a Agência agora querem inviabilizar economicamente o uso do serviço, ao torná-lo ainda mais caro.

Abaixo, passaremos a listar quem tem se engajado na luta contra esse abuso e consequentemente essa ilegalidade, verdadeiro retrocesso para o país:

  

domingo, 10 de abril de 2016

Retorno às atividades físicas...

Após 20 dias sem atividade física, graças a uma gripe, problema de pele e estado de relativa prostração, retornamos hoje à piscininha da ADPM.

O treino foi bom.


Não anotei bem a série - nem era tão variada - deficit mental mesmo.

Só me lembro que foram 500 m de costas.
Depois teve 200m com algumas variações, 200 m com outras variações e, por fim, 3 séries de 150 m. No total, deve ter dado entre 1200 e 1300m.

O reloginho anotou 45' e 463 kcal.

O último registro foi em 20 de março, quando o reloginho marcou 43' e 370 kcal.

Tem me encasquetado uma questão: o que será que fez agravar os problemas em minha pele, como se eu fosse novamente um adolescente?



Algo que certamente não será decifrado. Mas que aponta para a necessidade de um reequilíbrio.



quinta-feira, 10 de março de 2016


Consta que a ANAC está em vias de mudar algumas regras para empresas e passageiros. Ficará em consulta pública – 30 dias.


Quem foi chamado a opinar?
No UOL – Economia – a Proteste.

Não sei se alguém no Procon SP está envolvido no caso ou tem opinião, ainda que preliminar, sobre as mudanças e suas consequências.

Será que alguém de outros Procons desse Brazilzão está se importando com esse processo ou nele engajado?

Eu mesmo, passada a metade da quinta década vivida, viajei de avião duas vezes. E foi pelo Procon.

São mudanças que não me afetam diretamente, assim como não devem afetar diretamente a vida de mais de 90% da população, que tem renda familiar menor do que R$5.000 - parte considerável dessas pessoas, aliás, estão com nome “sujo”. 



Passada a primeira digressão, avancemos por pontos talvez menos desinteressantes.

Concordo com a opinião da Proteste – 30 dias é um prazo muito curto, para discutir mudanças drásticas.

Pois o prefeito Fernando Haddad colocou em consulta pública a criação do Procon da maior cidade do Brasil. Por quanto tempo, mesmo?

E alguns procolinos conversam sobre a ideia (malsinada?) de transformar o Procon SP em Autarquia. 
Em quanto tempo querem que saia um “Projeto de Lei”?

Nem as mudanças da ANAC, nem a criação do Procon Paulistano e muito menos a mudança do regime da Fundação Procon SP deve ser feita aos atropelos, sem amplo debate e coleta de pareceres ricos e corretos, se quisermos evitar perdas irreparáveis logo ali adiante.

Mas essa questão da ANAC, que não é das que mais me preocupam e menos ainda das que me ocupam, salvo por obrigação profissional, me leva a outro “ponto alto” da semana.

Nosso ex-coleguinha de Procon, Procurador de Estado, bem ligado às causas consumeristas, ambientalista e quetais, Dr. Sodré, falou lá em Brasília que o Procon de São Paulo inexiste.

Ao ler aquele depoimento, pra dizer a verdade, fiquei chocado.
Eu ali, ralando todo dia, 40 horas por semana, mais deslocamento - dando quase 12 horas de cada um de meus dias - bem ou mal produzindo trabalho útil, para tratativas coletivas e individuais, em prol da harmonização das relações de consumo, e o cabra diz que “NO EXISTE”, no maior estilo Padre Quevedo?!
.
Como pode ser dito algo assim sobre que envolve meu TRABALHO  e o de tantos colegas meus?

Foi então que uma coleguinha, mais próxima, mostrou-se, digamos, surpresa com esse meu ponto de vista, compartilhado por outros colegas de labor.

Não sei se saberia dizer bem certinho o que ouvi dela, mas considerei a ponderação, dentro do contexto que estava o Sodré e o pessoal do SISTEMA NACIONAL DE DEFESA DO CONSUMIDOR.

Será que o Procon SP ainda existe?

A comparar com o que já fez, quando estava presente nas discussões, um órgão de referência, que estava em todos os lugares em que suas “pernas” alcançavam, será que hoje ele ainda EXISTE?

A percepção anterior é de que atuava articuladamente com outras entidade envolvidas na DEFESA DO CONSUMIDOR.

Não sejamos "românticos" a ponto de, por conta do distanciamento, dizer que o trabalho era MARAVILHOSO, que o Procon SP era fenomenal ou algo do tipo.

Mas é difícil de negar que tinha mais reconhecimento e prestígio; e difícil de negar que "existia mais", como protagonista - pensava, logo existia.

Verdade também que talvez pudéssemos pensar e existir mais, se melhor usássemos os   600 cérebros que o contribuinte custeia.

A opção era, grosso modo, ter e manter uns 60 cabras considerados pelo próprio grupo deles "mais pensantes" e, portanto, mais participantes e "existentes", deixando a tigrada enxugando o gelo, fazendo o arroz com feijão ou algo assim.

Os mais de 500 simples mortais nunca tiveram a melhor noção de "TODO O TRABALHO", de existência, que era realizado.

Além da participação restrita em tal existência, nunca houve a devida divulgação. Nem sei dizer se foram bem documentados os feitos daquela existência. Se estão facilmente acessíveis a qualquer novo funcionário ou mesmo ao cidadão interessado.

(Digo isso até porque, segundo o que foi divulgado, na SENACON, tudo estaria bem documentado).

Alguém poderia alegar que "o trabalho árduo e as premências do dia a dia" não davam margem à divulgação nem possibilidade de envolvimento e engajamento maior de todos.


Mas Mario Sergio Cortella, nessa semana, dizia na CBN que tempo é questão de prioridade.
O cara "não tem tempo para se exercitar" até que enfarta.
No dia seguinte, arranja tempo.

No dia em que COMPARTILHAMENTO DE TRABALHOS DESENVOLVIDOS, ENGAJAMENTO DE TODOS OS SERVIDORES EM TAREFAS NOBRES, sem prejuízo das atividades corriqueiras, e DESENVOLVIMENTO PERMANENTE DE NOSSA FORÇA DE TRABALHO passarem a ser reconhecidos como o melhor caminho para uma EXISTÊNCIA PLENA DO PROCON SP, talvez possamos voltar a existir.


Em março de 2015 - e já há um bom tempo - temos nos contentado em "fazer o básico", sem muito pensar, sem muito existir.

E mesmo o básico não tenho certeza se está sendo feito de forma melhor.

As empresas estão mais do que antes ocupadas em evitar o transbordamento de demandas para o Procon SP?
(Sentem que há uma reação, se menosprezarem os consumidores ou tem a tal "sensação de impunidade"?)

Os casos que chegam ao Procon tem sido RESOLVIDOS em maior proporção do que antes?

Sabemos em quantos e quais setores as relações estão mais ou menos harmonizadas?


Como voltar a pensar, agir e assim existir, até mais do que antes?


PROVOCAÇÕES:

1) Será que  esse Proconzinho do Haddad, aliado à ideia do Matarazzo, de botar unidades nas subprefeituras (já aprovado em primeira instância na Câmara Municipal) irá dar um baile no Procon que deveria ser o maior e melhor do Brasil, até por ter maior estrutura?

2) IDEC, a Proteste e, por que não dizer, o Reclame Aqui – apenas para ficarmos em alguns exemplos - tem exercido cada um o seu papel, com mais ou menos dinheiro.
E o Procon SP quando terá sua próxima revolução, em favor da instituição?.

P.S.:Quem sabe um dia, no Twitter do Procon SP (@proconspoficial), a articulação de seus servidores seja tão divulgada com a dos servidores da AGU:

Parlamentares defendem valorização da advocacia pública em sessão solene na Câmara - http://bit.ly/1UbDhNL 

 

terça-feira, 1 de março de 2016

Retomada das atividades físicas - sem negligência!


Etapa 1/18 (01.mar.2016) - cumprida.

400m livres

50m de borboleta
100m de costas
(repete a série)

100m tiro de crawl
100m crawl 2 x 1
(repete a série)

150m de peito
50m submerso

100m de costas

Total: 1400 m 

Obs.: alguns probleminhas com o monitor (nadei uns 5 minutos sem marcar e esqueci de desligar o aparelhinho.... apurações prejudicadas.


Etapa 2/18 (03.mar.2016) - cumprida.

300 m livres -

75m crawl - respiração 8x1 na ida, 4x1 na volta
50 metros de peito

(3 séries iguais)

50 apneia
50 costas
(4 séries iguais)

200 medley
(2 séries iguais0

Total: 1475 m 


Etapa 3/18 (05.mar.2016) - cumprida.

500 m livres



200 medley + 50 costas
(repete)

150  respiração 7 x 1 na ida e 4 x 1 na volta
150 peito, respiração 2 x 1

Total: 1300 m

Etapa 4/18 (06.mar.2016) - cumprida.

400m livres
 
100m peito 3 x1
50m borboleta
100m submerso
(repete a série)

200 medley
(borboleta, costas, peito e crawl - nada uma piscina, anda uma piscina)
repete a série

50m livres

Total: 1350m
331kcal

Etapa 5/18 (08.mar.2016) - cumprida.

Tive de ir me arrastando...
Velório do pai de uma amiga mais dia insatisfatório no trabalho.
De todo modo saiu alguma coisa.

200 m livres

150m crawl 3x1
50m perna de peito - mão nas costas/glúteo
(repete a série)

200m crawl forte

100m perna de peito
100m peito 2x1
(repete a série)

Obs.: Deve ter tido uma série intermediária - de uns 300 m, que não me lembro qual foi.

381kcal
46´

Etapa 6/18 (10.mar.2016) - descumprida.

Ficamos até mais tarde no trabalho. Ajustes no Cadastro de Reclamações Fundamentadas 2015.


Etapa 7/18 (12.mar.2016) - cumprida.

500 m livres

200 medley
50 costas
(repete a série)

150 de crawl 7x1
150 de peito

Total: 1300 m
41´
444 kcal

Etapa 8/18 (13.mar.2016) - cumprida.

idem etapa 7/8
Porém consegui fazer só 1100m, pois cheguei um pouco atrasado para a aula.
37'
385kcal

Etapa 9/18 (15.mar.2016) - cumprida.

300m livres

100m peito
50 m crawl 10x1
(repete a série)

200 m de costas
50m de borboleta
(repete a série)

25m tiro de crawl
25m costas
25m tiro de crawl
25m peito
(repete a série mais duas vezes)

Total 1400 m
46´
488kcal

Etapa 10/18 (17.mar.2016) - cumprida.

400 m livres

50m borboleta
100m costas
(repete a série)

100 tiro de crawl
100 crawl 2x1
(repete a série)

livre 
optei por costas... fiz mais 200m

TOTAL: 1300m
42'
421 kcal
 

domingo, 28 de fevereiro de 2016

Atividade física neglicenciada...

Independentemente das justificativas, mais ou menos plausíveis (gripe, desastres automobilísticos, preguiça, outros compromissos...), o resutado tá aí e não é bom:






Ou seja, das 8 "semanas cheias", só em três a atividade física foi praticada duas vezes por semana, o que não é nem de perto o mínimo necessário.

E ainda teve duas semanas inteirinhas em que não houve sequer um dia de atividade - fiasco total.






Ok, hoje o treininho foi bom:

500 m livres

200 medley (borboleta, costas, peitro e crawl)
50 costas

(repete a série de 250)

150m (ida com respiração 7 x 1, volta com respiração 3 x 1)
150 m de peito

100 m livres

Total, 1400 m - 44' - 469 kcal

Março bate à porte.
Serão 5 terças-feiras, 5 quintas-feiras, 4 sábados e 4 domingos.
18 possibilidades.
Que sejam aproveitadas integralmente!

terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

Será que os indianos estáo errados?

Estamos aqui mais uma vez abordando um tema que, certamente, não interessa à parte mais sofrida da população. Isso se levarmos em conta que vivemos em um estado com aproximadamente 1 milhão de analfabetos e ainda com parte significativa da população padecendo do analfabetismo funcional.

De todo modo, como parece que "todos usam as tais redes sociais", produtos e serviços das grandes empresas de tecnologia, responsáveis por negócios bilionários, o tema desperta algum interesse - internet livre!

E sobre ele ontem recebemos uma notícia interessante.
Na índia, o tráfego gratuito de internet (seletivo / para determinados aplicativos) foi proibido:


Aqui no Brasil, apesar do Marco Civil da Internet, várias operadoras oferecem pacotes ilimitados para o uso desses aplicativos. Graças aos buracos supostamente existentes na legislação.

Até nos EUA a prática é vista como ameaça à neutralidade da rede:


A questão é simples: se ofereço algo que "facilita ainda mais" os negócios para os gigantes, torno praticamente inviável o trabalho dos pequenos, dos novos, dos locais... Ou seja, mantenho todo o sistema viciado, preservando o intere$$e de algun$. 

No entanto, por aqui, as chamadas autoridades parecem estar até alheios à discussão ou tratam do caso a passos lentos, sem profundidade.

Vejam que o Ministro ainda está "lançando consulta"...


A chance de manutenção da neutralidade da rede é bem pequena. 
(Estamos a um passo da "flexibilização" do Marco Civil da Internet!)

Temos até instituição particular que se proclama defensora dos direitos do consumidor, mas lança campanha a favor de aplicativo de grande corporação. 

E as instituições públicas de defesa do consumidor também ainda não publicaram sua posição nem estimularam o debate sobre o tema. Silêncio que no caso é mais do que um pecado.

Notar que há outras questões ligadas aos gigantes que deveriam merecer atenção das autoridades.  Não raramente escolhem o que deve ser mostrado ou a cada usuário, de acordo com conveniências de mercado ou ideológicas. Contribuem, assim, com a censura de temas e ideias, avocando para si o direito de publicar ou não determinados conteúdos, sob a "justificativa" nada plausível de que estariam operando em espaço privado.




sábado, 30 de janeiro de 2016

Abordagem sobre Uber (adaptável a outros temas)

Como se sabe, o Brasil tem instituições consolidadas.

A mídia livre e independente é uma delas - fiscaliza os outros poderes.

Nossa TV pública é forte, a ideia e a implantação da TV DIGITAL foram muito bem sucedidas, pois conseguiram fazer surgir e tem mantido múltiplos canais de informação qualificada, formação e entretenimento.

Temos aqui também o uso da internet bem desenvolvido, com inúmeras fontes de conteúdo, com temas variadíssimos e bem aprofundados...

Como a grande maioria das pessoas tem carro particular e a questão do sistema de transporte público está bem perto de ser equacionada, um dos temas preferidos de nossas grandes empresas de comunicação tem sido discutir serviços como o Uber, realmente em consonância com o interesse do povão. E, como também se sabe, nossa gente tem necessidades materiais bem atendidas, de modo que o papel exercido pelos formadores de opinião é realmente tornar ainda melhor o nível intelectual do povo, com formação e informação, além de sempre fomentar valores como o espírito de solidariedade, para não dizer altruísmo, espiritualidade e caráter..

Dentro desse contexto, nossas empresas de comunicação, como se sabe, sempre abordam os temas com o distanciamento esperado de seus bons jornalistas livres e independentes, tudo sempre alinhado com o interesse da grande maioria do povo trabalhador de nossas comunidades. 


Aliás, não há esquina em que o assunto Uber não esteja sendo discutido, daí o reflexo dessa discussão também na mídia. Claro que todo o povo tem seus próprios carros particulares, limpos e luxuosos e que ainda podem optar pelo transporte público quase impecável, oferecido por empresas do tipo SPTrans, Metrô e CPTM... Só que nossa gente está cansada da mesmice e aberta ao novo!

De fato, em um mundo como o nosso, "cheio de oportunidades", todos, trabalhadores e consumidores, querem e podem abandonar profissões e trocar de serviços a qualquer momento, sem qualquer prejuízo social ou econômico - pelo contrário, mudanças favorecem o avanço, a colocação do trabalhador e do consumidor onde devem estar, possibilitam o desenvolvimento e, consequentemente, um mundo melhor para todos...

Acho apenas que informações prestadas por nossa mídia tão independente poderiam ser um pouco menos repetitivas. Por exemplo, não é necessário dizer em toda matéria da Veja, da Folha ou da Globo e dos assemelhados o que já está na Wikipédia:

"Cerca de cinco anos após sua fundação a empresa foi avaliada em 18,2 bilhões de dólares, em junho de 2014, contando com investidores como a Google e Goldmann Sachs." 

Sim, o Uber é do Google e vale o dobro do Facebook! Isso qualquer um já sabe! Não precisa repetir o tempo todo.

Não precisa dizer que Google e Goldmann Sachs querem muito mais do que lucrar e remeter algum dinheirinho para seu país de origem (EUA), até porque dinheiro lá, como em qualquer lugar do mundo, é fácil de ser gerado - principalmente com trabalho! O $I$tema é assim: VALORIZA O TRABALHO!!!

Ademais, são empresas multinacionais conscientes de suas responsabilidades sociais, especialmente da necessidade de contribuição com o desenvolvimento local, por isso estabelecem sede nos países em que operam. E assim geram muitos empregos qualificados e bem remunerados, especialmente de nível gerencial e estratégico.

Há quem diga que os motoristas do Uber e os muitos outros profissionais que trabalham em empresas assim são sempre satisfeitos com seus empregadores - como quem trabalha par ao Mc Donald's e Walmart , aqui ou em qualquer lugar do mundo. Aliás será que recebem vale-refeição de R$50,00 por dia e tem ainda um plano de saúde de primeira linha? Linx ou Omint?

Verdade os profissionais brasileiros, sempre criativos e qualificados são disputados, mas ainda assim é bom notar que nos classificados e nas agências virtuais de emprego que o Uber está sempre oferecendo ótimas e numerosas oportunidades para nosso povo, bem mais do que os concorrentes locais, como o 99 Taxi, por exemplo... E, claro, trabalho com as melhores condições. Afinal, ele é diferente e muito melhor!

Outra informação divulgada demais, até além da conta, na grande mídia (Estadão, Revista Época, Bandeirantes, Globo, Folha e assemelhados) é o "salário médio" de um motorista do Uber - aquilo que sobra no final do mês, depois de ele bancar seu carrão de luxo (custo de oportunidade do carro - mais de R$70 mil - depreciação, manutenção, combustíveis etc).

Outro motivo para não se falar o tempo todo e em todas as matérias qual é a real remuneração líquida do motorista médio do Uber é que a informação pode ser buscada com facilidade no Google (talvez pela isenção do buscador, fora o fato de ser ligado ao desenvolvedor do aplicativo).

Só para variar, obtive a informação por outro buscador, o Duck Duck Go:


Com o preço do petróleo lá embaixo, a gasolina barata, assim como os carros e preços de manutenção super acessíveis, evidentemente R$4.000,00 é mais do que suficiente para que o motorista banque seu carrão de R$70 ou R$100 mil e ainda tenha uma vida muito digna - ele e toda sua família. E isso sem prejudicar os negócios das grandes corporações - que sempre cada vez mais nos ajudam - ficando com apenas 1/4 de tudo o que se arrecada. Bônus justo para quem criou o serviço e depois...

Outra coisa que funciona no país, com apoio da grande mídia - isenta e independente - é o processo legislativo.

Mas também não é motivo para discutir com tanta exaustão, falar todo dia e em todos os canais da grande mídia, sobre o projeto que há no Senado para regulação do Uber - algo desnecessário, haja vista o consenso sobre o tema:


E notem que o projeto discute questões elementares, como obrigatoriedade de aceitar pagamento em dinheiro (que é de curso forçado no país), acessibilidade do aplicativo para deficientes, recolhimento de impostos. Coisas que, evidentemente, por si só e independentemente de qualquer regulação, o Uber trataria de fazer. Afinal, atua em consonância com as leis, é cheiroso e inclusivo (sabe que precisa respeitar seu cliente). 

A discussão é realmente inútil, pois embora haja resistência de alguns taxistas, motivada talvez única e exclusivamente pela cor do carro - preferem dirigir carros brancos, tudo tende a se ajeitar, se todos passarem a dirigir carros Uber. Talvez a empresa até concorde em liberar operação com carros de qualquer cor que queira o motorista e o consumidor final.

Se todos mudarem para o Uber, o serviço tenderá a ficar ainda melhor e probleminhas como os registrados no Reclame Aqui serão cada vez mais raros.
Aliás, será que não são inventadas pela minoria contrária o Uber essas reclamações?
Fica a possibilidade para pensar...

E, assim, continuaremos ajudando a melhorar a vida de quem precisa (Google, Goldman Sachs e muitos outros). E mesmo coma criação de muito empregos para os brasileiros nos escritórios do Uber no Brasil - talvez um em cada cidade com mais de 200.000 habitantes... parte daqueles 20% que fica com a empresa pode ir para os EUA, afinal todos precisam...

E quando passarem a aceitar corridas em papel moeda, os banqueiros terão seu quinhão, pois parte delas continuará sendo paga com cartão de crédito / débito, ajudando assim o Bradesco, a CEF, o Itaú e outros patrocinadores da mídia, para que ela possa continuar a nos informar e entreter e colaborar com o desenvolvimento econômico e social de nossa nação! 

P.S.: Outra informação que não precisaria ser comentada em todas as matérias sobre o Uber é o fato de ele ter sido praticamente VETADO na Alemanha e da resistência, encontrada em países como França e Espanha. Afinal, o Brasil está em outro patamar, não é mesmo?








domingo, 24 de janeiro de 2016

Veículo reparado...

De UNO ACIDENTADO


... e que siga abençoado!

De UNO ACIDENTADO

Segundo treininho bom relatado do ano...

NATAÇÃO 

500m livres

150m de costas
100m alternando duas braçadas de crawl

(repete a série anterior)

300m de crawl, respiração 3 x 1

100m nada livre

Total: 1400m

Tempo: 45´

Energia: 508 kcal

Esforço cardíaco: máx. 92%; méd. 78%

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Reparo (I) em ritmo acelerado...

Hoje fui fazer uma visitinha à oficina Pica Pau's... Gostei do que vi! E adorei saber que na sexta tá pronto!
De UNO ACIDENTADO
De UNO ACIDENTADO
De UNO ACIDENTADO
De UNO ACIDENTADO

domingo, 17 de janeiro de 2016

Começo de ano diferente demais...

Antes do vigésimo dia de 2016, estive envolvido em dois acidentes automobilísticos.

Enquanto o Uno está na oficina, para os devidos reparos, agora foi o carro da sogra que rodou.


Abaixo, o resultado da imprudência de um motorista, que dirigia em alta velocidade na Via Anchieta, sentido São Paulo, e nos causou prejuízo considerável.

Aconteceu ontem, quase meia noite. Estávamos voltando de São Bernardo na pista da esquerda da via expressa, nas imediações da Universidade Anhanguera a aproximadamente 100km/h.Um sujeito deu farol, pedindo passagem, mas antes de eu conseguir sair da pista, fez o estrago no Ká.

Como o carrinho rodou na estrada e bateu no guard rail (mureta), não tivemos nem como saber qual era o carro causador do acidente, que nem parou para saber se houve algum dano de maior gravidade, além do material. 

Quem testemunhou o acidente e parou para eventualmente ajudar nos disse que era um Mercedes, que ficou também danificado.


Felizmente, nossos anjos da guarda estavam de plantão e não sofremos uma escoriação sequer. Serviço difícil, em uma estrada movimentada, com muitos carros trafegando em alta velocidade naquela hora.

Graças a Deus!

Lições nem sempre são baratas!


De KÁ DANIFICADO
De KÁ DANIFICADO
De KÁ DANIFICADO
De KÁ DANIFICADO

quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Treininho bom!

NATAÇÃO
500m livres

200m peito (regressivo - alterna a cada 50 m - de 4 x 1 até 1 x 1)
50m borboleta

100m crawl 5 x 1
100m (vai piscina ondulando, volta costas)
100m só braço com flutuador

(repete sessão anterior)

100m livres (no caso, optei por costas)

TOTAL: 1450
45 minutos
410 kcal

domingo, 13 de dezembro de 2015

Agências reguladoras - não podemos apostar nelas todas as fichas MESMO!

Tal como aqui, no exterior a eficácia das agências reguladoras é bastante questionável:

Para melhor compreender, clique abaixo (in English!)

FCC proposes millions in fines, collects $0

terça-feira, 17 de novembro de 2015

É bom (ainda) poder trabalhar em um local de credibilidade...


Pesquisa IRBEM (Indicadores de Referência de Bem-Estar no Município, realizada pelo IBGE Inteligência).

http://www.nossasaopaulo.org.br/portal/irbem
















Cabe ainda mencionar os não tão "acreditados"...












Arquivos em pdf:
confiam
não confiam




quarta-feira, 11 de novembro de 2015

Resposta do BB, referente ao questionamento forumlado (postagem anterior)

Alexandre,

Em atenção à sua manifestação registrada no Serviço de Atendimento do Consumidor do Banco do Brasil, protocolo nº 39491153, pedimos a gentileza de contatar o suporte técnico pelo telefone 0800 729 0200, quando for acessar sua conta corrente pela Internet do computador ou dispositivo móvel que você deseja efetuar a configuração, para obter as orientações necessárias ao atendimento de sua solicitação. O Suporte Técnico oferecerá um diagnóstico mais preciso para auxiliar em sua demanda e oferecer a solução. Não identificamos nenhum impedimento cadastral para que o senhor possa investir no tesouro direto pela internet.

Prestadas essas informações, reafirmamos nosso compromisso com o melhor atendimento e permanecemos à disposição para quaisquer outros esclarecimentos.

Conheça os nossos canais de atendimento no seguinte endereço: www.bb.com.br/atendimento
Equipe BB Atende


RESUMINDO... NADA FOI RESOLVIDO.

segunda-feira, 9 de novembro de 2015

BB precisa dar mais atencao a quem opera o Tesouro Direto com GNU Linux / Software LIVRE

Abaixo,  mensagem mais ou menos como a registrada via site SAC do BB, referente a dificuldades para operacao com Tesouro Direto em maquina com GNU / Linux


"Apesar de haver mensagem no site, referindo-se à necessidade de uso do JAVA ORACLE (com o perdão da palavra) para uso no GNU Linux, sempre foi possível usar o Open JDK.
Entrar na conta e fazer (quase) todas as transações com ele. Até outro dia era tambem possível investir em TESOURO DIRETO.


Até hoje é possível acessar sem problema o HOME BROKER:
https://hbk.bb.com.br/imc/home.html?cid=21411


Só que nem todos querem transacionar com ações.
Muitos preferem tesouro direto.


Pois, agora, ao clicar em tesouro direto, o sistema do banco faz uma verificação do browser, do java e do sistema linux e indica ACESSE SUA CONTA.


Isso sempre ocorreu, só que levava para a parte da corretora referente a investimento em tesouro direto.


Agora, sabe-se lá por que, ele leva novamente para a página de acesso à conta!
https://www41.bb.com.br/portalbb/tdr/gcs/statics/gas/validacao.html


Acho que tá BUGADO!


Por favor, corrijam isso pamode o pessoal poder novamente investir em TESOURO DIRETO, pelo BB, com o velho e bom GNU LINUX e com o Open JDK, tão bem aceitos para acessar a conta e o Home Broker, só o Tesouro que aida não.


Tomara também que estejam também trabalhando para REMOVER de vez esse lance de JAVA.

No Bradesco não tem nada disso.
Basta ter um cartãozinho cadastrado e as senhas para fazer as transações, na boa.


O Santander nem é integrado com a BM&F.
As ordens são dadas pelo próprio site da BM&F e a grana entra e sai da conta do sujeito, mas tb não tem essa coisa obsoleta de Java, ainda mais de uma corporação como a Oracle (com o perdão da palavra) e o escambal.
O BB precisa continuar amigos dos LINUXERS e não pode tomar toco de um banco privado.


Até outro dia, o BB botava o Pinguim nos caixas eletrônicos!


Abraços!

domingo, 8 de novembro de 2015

Uma percepção sobre Portugal, voltada à "área tecnológica"


O Diolinux entrevistou um profissional atuante em Portugal, na área de TI.

Pelo que entendi, recebe salário mínimo (550 euros), sujeito a descontos (tributos e segurança social, de 50 euros).

Trata-se de um profissional de nível técnico. Um Web Designer, que deveria ter habilidades com HTML, CSS e JAVASCRIPT, mas que também é chamado a operar com servidores e programação.

O custo de vida no país não é baixo, a ponto de o jovem ter de compartilhar uma residẽncia, já que o aluguel de uma quitinete com localização razoável custa 400 euros / mês.

O entrevistado chega a dizer em dado momento que o país é um lugar privilegiado, no tocante à tecnologia, após salientar que a internet tem custo menor do que no Brasil. Lá, acessam a 250Mbps por 25 euros. Só que esse "avanço" não se confirma pelas própras citações que ele mesmo desenvolveu em alguns outros pontos.

Em Portugal o uso do Linux, além de pouco disseminado é ainda bem restrito ao Ubuntu.
Os "benefícios" ofertados pelas grandes operadoras de telecom daquele país incluem fornecimento de telefones, inclusive Apple, com "fidelização" por 2 anos, e uso de sistemas de grandes corporações como Skype, Facebook e outros, que de certa forma acorrentam as pessoas.

E ainda há muita gente a acreditar que usar Apple equivale a ser bem sucedido. Algo que para mim representa mesmo grande ignorância.

 Foi decepcionante o entrevistado não ter reconhecido como grandes expoentes de sites brasileiros, voltados à Tecnologia / Linux, nem VIVA O LINUX e nem mesmo o BR LINUX, tampouco o UBUNTU FÓRUM BRASIL ou outros fóruns de distribuições, de programação etc.


Assim, embora Portugal tenha seus encantos, não me empolga como local de desenvolvimento na área de tecnologia da informação, sopesada a existência de honrosas exceções, como o fenômeno PPLWARE.
Sugiro aprofundar a análise, mediante novas entrevistas, com personagens talvez mais "velhos". Quem sabe existam por lá tipos com MADDOGs portuguses...








quarta-feira, 4 de novembro de 2015

Enquanto a Vivo reclama da vida, a @TIMganei antecipa o "padrão de negócios" do futuro próximo... :-(

Acabo de checar a oferta da TIM:

http://tim.com.br/TIMPRE150

Por R$7,00 por semana, o sujeito poderá falar 75 minutos, inclusive com usuários de outras operadoras, terá 150Mb de tráfego de dados, além de mensagens sms ilimitadas.

Não curti muito essa "cláusula" da oferta
"Importante: Os benefícios serão renovados de forma recorrente no 7º dia, enquanto tiver créditos."

(Quando o sujeito quiser mudar de plano pode ter um trabalhinho...)

E tem outras também outras pegadinhas , abusos e atrocidades da @TIMganei, que comentaremos em uma próxima postagem.

Uma LIMITAÇÃO que deveria estar em GRANDE DESTAQUE, é o fato de que, após o centésimo minuto de ligação, cobrarão R$0,25 por minuto.
Ou seja, o cidadão pode falar com qualquer operadora, 15 minutos em média diária. Se falar mais do que isso, mais de 100 minutos na semana, passa a perder R$0,25 POR MINUTO!

Em plano atual, ele pode falar de TIM pra TIM e para operadoras locais por tempo "ilimitado" pagando R$0,35 por ligação. Cuidado, se não ela @TIMgana!



Enquanto isso, a Vivo quer cobrar R$0,99 / dia por 10Mb de dados e... e mais o que mesmo?

Como se não bastasse, o novo presidente da Vivo quer "lutar contra o WhattsApp"... pressionando a Anatel, dizendo que poderá até "tomar medidas judiciais cabíveis".

(http://front1.olhardigital.net.br/noticia/vivo-critica-anatel-sobre-whatsapp-precisa-sair-da-zona-de-conforto/52623)

Eu nem uso o tal do aplicativo.
Uso pouco o Telegram, apenas.

Não sou fã da TIM, muito menos da Claro, tampouco da Oi. Aliás, Deus me livre da Claro / Net / Embratel, pelo menos enquanto não deixar de figurar de forma desabonadora como a mais reclamada no ranking on line da Fundação Procon SP. E ainda com índice de solução sofrível...

Mas me parece que a Vivo tá perdendo o timming na relação com o consumidor. Aposto que, consequentemente, perderá clientes e valore$.

domingo, 25 de outubro de 2015

Pobre sociedade estadunidense

Como sabemos, o american way of life não pode ser considerado modelo.

Tivesse todo o planeta o nível de consumo dos Estados Unidos, seria preciso quatro planetas Terra para suportar.

Mas é triste constatar que alguns não parecem aceitar como necessidade vital viver de forma mais sustentável (não consumir, consumir menos, reaproveitar e reciclar).

Acabo de encontrar, no velho e bom monitor do Duck Duck Go a seguinte notícia:


Goodbye Middle Class: 51 Percent Of All American Workers Make Less Than 30,000 Dollars A Year

 Sim, a maioria dos estadunidenses ganha menos de 30 mil dolares por ano, o que equivale a menos de 2.500 / mês. 

   Ainda assim, quase R$10.000,00 por mês , mais de 5 vezes o salário médio de um brasileiro.

   Na mesma notícia consta que uma pessoa que tem apenas 10 dolares no bolso é mais rica do que um quarto dos estadunidenses. Isso porque eles são muito endividados. E, embora sem os juros extorsivos praticados no Brasil, alto endividamento sempre requer atenção, sinal de que algo está fora dos eixos.

  A respeito do dinheiro necessário para viver, gostei de uma palestra indicada pelo Bill Gates.

   Isso mesmo. Nem tudo que ele faz é ruim. Às vezes ajuda pessoas, ainda que se possa questionar os meios dessa ajuda. E às vezes recomenda boas palestras.

   Se puder, procure e assista ao vídeo "How we can make the world a better place by 2030" (palestra de Michael Green - no TED).



    Basicamente, o sujeito criou um "índice de desenvolvimento", segundo o qual Noruega teria a maior nota (88). O lugar médio, dentre todos do múndo, sería Cuba (65). Sim, Cuba! E os países menos favorecidos, os da África Central.

    Considera que, mesmo com crescimento econômico bem maior do que o atual, por décadas, não teríamos avanço significativo em progresso social.

    Fica subentendida a necessidade de reorganização social, para que tenhamos um mundo melhor para todos.

     Não adianta "aumentar o PIB"!

     E ele é otimista. Pondera que, em relação à pobreza absoluta, a humanidade já conseguiu, nos últimos anos superar parâmteros estabelecidos. Sófalta todo o resto e mudar a direção.

     Até Delfim Neto já entendeu isso: O capitalismo não é uma coisa 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

sexta-feira, 2 de outubro de 2015

UM OLHAR SOBRE PLANOS DE SAÚDE

ÍNDICE DE DESEMPENHO DAS OPERADORAS 2015 (ano base 2014)











UNIMED FESP






CENTRAL NACIONAL UNIMED
UNIMED SEGUROS
PREVENT SENIOR










































Fonte: ANS


Acesso em 02/10/2015

terça-feira, 15 de setembro de 2015

Um pouquinho mais de liberdade, com Trisquel Linux

Desde 2013, tinha em uma maquineta Lenovo G480 o Window8 e um Ubuntu 12.04.

Raramente eu acionava a partição do Windows, por ser lenta, requerer um monte de atualizações, além da opção por evitar tanto quanto possível os sistemas proprietários.

Neste mês de setembro, tivemos péssimas notícias a respeito de "espionagem", com atualizações inseridas inicialmente no Windows 10 e posteriormente também nas versões 7 e 8 do sistema.

Coincidentemente, neste mês a partição Linux do referido notebook deixou de funcionar. A máquina funcionava só no outro sistema!

Eu nunca havia instalado um único sistema Linux em todo o HD de uma máquina com UEFI, só tinha alguma prática com as velhas BIOS.

Após algumas tentativas e erros, correu tudo bem. O sisteminha parece bem redondo agora, totalmente atualzado, com impresora configurada e tudo mais, sem grandes dificuldades apenas seguindo dica do fórum.

Sei que a liberdade plena ainda é mais um ideal, pelo qual devemos batalhar. Afinal, ainda escrevemos aqui, em um sistema Google...:-(

Por outro lado, é legal ver e ouvir pelo Gnash e não pelo Flash, por exemplo.

Assim, brindemos o Trisquel!

domingo, 16 de agosto de 2015

E o Unão chegou aos 300.000 km...

O fato ocorreu ontem!


Uno CS 1.5 ie / 95,  adquirido em 2002, com 18.000 km, está conosco até hoje. São 13 anos, portanto.

Salvo engano, na época foi comprado por R$7.800,00.

(Corrigido pelo INPC, o valor corresponde a aproximadamente R$18.000,00. Com rendimento da caderneta de poupança, iria para quase R$21.000,00.)
Sim, a poupança tem rendido pouco!





Para que tem servido o Unão?

- passeios aos finais de semana;
- 4 anos de estudo;
- 3 anos lecionando;
- transporte para o trabalho, eventualmente;
- visitas aos familiares e amigos;
- viagens de férias;
- etc.


Quanto tem custado?

Se considerarmos que o carrinho fez 12 km/l, em média, e que rodamos com ele 282.000km, chegamos a 23.000 litros consumidos. Se tomarmos o litro a R$3,00, estimamos ter gasto pouco mais de R$70.000,00, só com gasolina.

De fato, só no último ano, foram 20.000 km ou quase R$5.000,00, em combustível!

Além dos desembolsos citados,, temos outro gasto fixo anual bem superior a R$1.000,00 com seguro, fora manutenção: óleo, pneus, reparos eventuais etc. Alguns aliás bem carinhos, como retífica de motor / troca de embreagem / suspensão...

Ainda bem que IPVA pagamos só até 2015. Carro com mais de 20 anos não paga!

Uma continha que em 13 anos passa fácil dos R$100.000,00. Realmente não é barato. Mas, comparado a outros automóveis, é um dos que dá menos problemas (quase não quebra!) e menos gastos, até porque a manutenção é relativamente "barata".

Tem valido a pena!

Transporte público seria alternativa menos onereosa?
Talvez, mas e os transtornos?
(desconforto, perda de tempo, estresse... )

Apesar dos ônus, só nos resta o sentimento de gratidão pelas facilidades proporcionadas e pelos momentos agradáveis que passamos com o carrinho.

Por fim, frases desgastadas: E em time que ganha não se mexe.
Carro não tem ano, tem dono - ou cuidador...;-)


Smartfone - serve, mas exige ser servido.

Meu primeiro telefone celular - presente da namorada - durou mais de cinco anos. Ainda funciona, ficou com minha mãe por um tempo e mais recentemente foi doado a um colega.




No lugar do Nokia 7100, adotei um Motorola K1, usado antes por uns aninhos pela mesma namorada. (Eu que havia dado de presente e depois recebi de volta!)



Os aparelhinhos são um mimo talvez capaz de agradar e servir entes queridos (namorada, mãe, amigos...).


Ele me foi útil por mais de um ano, até pifar. (não perdeu totalmente suas funções, mas quem recebia a chamada não conseguia mais ouvir quem estava chamando).


Adiei o quanto pude o momento de trocá-lo, porque realmente não via necessidade. Para mim, aquele aparelhinho era good enough.


Mas quando quebrou resolvi comprar às pressas, sem quase nada pesquisar.


E desde julho deste ano, tenho usado meu primeiro smartphone, pelo qual desembolsei R$299,00, em uma loja da operadora Oi - um LG L35 D157:



Nas lojas, o número de modelos de smartphones ofertados é muito maior do que o de telefones. E o preço dos smartphones mais básicos é duas ou três vezes o de um telefone celular com funções simples. Ainda assim, esse modelinho está enquadrado como de "baixo custo".


Escolhi errado o modelo?

Mais ou menos.Ele é até bom demais para minhas necessidades. Só que deu um trabalhão para aprender a remover ícones da operadora.(E se, por algum motivo, eu precisar de um reset, para que retorne à "condição de fábrica", a única opção é trazer de volta todas aquelas tranqueiras....)   :-(

O segundo problema é que - como a esmagadora maioria dos produtos desse tipo comercializados hoje no mundo - o usuário fica praticamente obrigado a vinculá-lo a uma conta Google, se quiser usar, por exemplo, um navegador, com função de GPS.

E, como uma conta Google no aparelho deixa expostos parte de seus dados pessoais, torna-se super conveniente inserir senhas, como forma de evitar possíves problemas outros em caso de perda, furto ou roubo do produto.

Mas o que dói muito mesmo, para quem é amante do software livre, é ler no manual do próprio produto que - o software livre não é recomendável!

(Todo um esforço para evitar Windows no computador pessoal, contrastado com a quase obrigatoriedade de usar sistema altamente "corporativo" no smartphone!)

A frustração se aprofunda quando você busca informações sobre o Replicant, um Android mais purinho, e vem a saber que seu modelo nada tem a ver com sistemas assim, pois usa processadores Qualcomm, que são incompatíveis com esse tipo de liberdade. O desgosto aumenta mais ao saber que poderia comprar um Galaxy S2 usado, por exemplo, praticamente pelo mesmo preço - menos incompatível com sistema mais livre.

Ainda assim, um artigo pondera: Replicant solo para los muy apasionados del software livre .

E, de fato, temos muita informação sobre o GNU Linux  e programas livres em desktops e em notebooks (sites, fóruns etc), mas quanto aos sistemas operacionais livres para smartphones, as publicações são bem mais escassas.

Ademais, se eu comprasse um Galaxy 2 com anos de uso, duraria mais quanto tempo?

E quanto tempo seria necessário até dominar a técnica de instalação do sistema e superar outros percalços? (dias? semanas? meses?)

Fato: pouquíssima gente sequer sabe da possibilidade de uso de software livre em smartphone, algo que interessa a quase ninguém!

Em geral, o povo está programado para simplesmente usar o sistema e ignorar completamente questões não apenas ideológicas, mas até de privacidade ou segurança. Será que um dia ele se liberta? Há pequeninos motivos para otimismo, mas eles existem. Embora muita gente tenha as maquinetas ainda mais por status e considerem tais produtos como camisas ou algo assim, parece que vem tomando corpo um grupo que já tem assumido outro tipo de atitude e rejeita qualquer coisa além do bom o bastante : Samsung glamour days over as it fights to save market share .  Não deixa de ser uma forma de se libertar!

Não investi uma grande fortuna no LG L35, mas já dediquei um tempo razoável à questão, em reflexões sobre essas facetas de nosso mundinho.



E questões vão surgindo...Qual a rotina de abastecimento da bateria?

Inicialmente, imaginei que todo dia o produto iria requerer esse cuidados de manutenção. Mas percebi que, com uso comedido, pode durar de 2 a 3 dias - mesmo tempo do intervalo entre limpezas de tela.

Tive de decidir ainda sobre os acessórios: capinha e película de vidro. Mais tempo dedicado ao nosso reizinho!

Circular pelas lojas e não encontrar a correspondente, verificar mais modelos e preços... comprar a distância, receber o produto diferente do pedido, reclamar, aguardar novamente... Passei por tudo isso também! Ainda bem que foi resolvido a contento.




Depois, aprender para que servem os programas que você pode baixar no site da marca, para receber atualizações de firmware e outras ou ainda para interagir com o computador na transferência de arquivos.

E no Linux? O bicho funciona? Como modem, muito mais fácil do que no Windows!

Mas, e a transferência de arquivos? No Ubuntu só consegui ainda com o aplicativo Airdroid. E tome tempo pra aprender o que é isso...

Alguma serventia efetiva tem o aparelho? Claro que sim. Dia desses me ajudou a fazer um bom caminho até o consultório médico e digitar mensagens nele é mais fácil do que nos outros dois que eu tinha, além de cumprir as funções básicas.

E o que achei bem legal em tantas viagens foram alguns videozinhos, que abrem possibilidades para abordagem de argumentação a respeito de um tema.


Tem capa no telefone ou prefere não usar?
Por quê?